domingo, 13 de novembro de 2011

Ipês-amarelos

 Ipê-amarelo é uma das árvores brasileiras mais conhecidas e cultivadas; sem dúvida uma das mais belas.

É encontrada em todas as regiões do Brasil e sempre chamou a atenção das pessoas, principalmente daquelas que tiveram a oportunidade de vê-la em meio à paisagem do sertão.

Foi admirando essa paisagem que pude refletir que nós, cristãos, precisamos ser como esses Ipês.

Li o que certo autor comenta sobre essa árvore: "Em meio à paisagem cinzenta, provocada pela seca, que enche de tristeza o sertão nordestino, o Ipê quebra o clima de desolação, tingindo de amarelo o Cariri ressecado pelo sol."

O Ipê embeleza esse cenário e faz a diferença onde tudo parece sem vida! Assim precisamos ser em meio a esse mundo de sequidão! Fomos chamados para isso:

"Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio duma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo." (Fp 2.15)

Aprendo com o Ipê-amarelo que posso fazer a diferença mesmo quando os ambientes não são favoráveis. Apesar das dificuldades e tentações enfrentadas por nós, jovens, é preciso que saibamos que o Senhor Jesus conhece as nossas limitações e entende como ninguém o que é estar no deserto e ter que suportar o que parecia insuportável! Ele nos vê como pessoas que são fortes:

"...Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno." (1Jo 2.14)

Além de ser conhecido por sua beleza, o Ipê também é conhecido pela resistência e durabilidade de sua madeira, que foi muito usada na construção de telhados de igrejas dos séculos XVII  e  XVIII ; se não fosse pela sua resistência, muitas dessas construções teriam se perdido com o tempo. Ainda hoje essa madeira é valorizada, sendo bastante usada na construção civil e naval!

Aprendamos, pois, com o Ipê, a não termos somente aparência, no nosso caso, aparência de cristãos, que vibram nos Cultos aos domingos, mas por dentro estão vazios! Que possamos, no mais íntimo do nosso ser, sermos cristãos verdadeiros, que buscam a face de Deus, que dependem dEle e que querem fazer a diferença!

Aprendamos que além de "capa" precisamos ter intimidade como Deus para sermos fortes!
E como "Ipês" fortes e cheios de vida, continuemos a resplandecer a luz em meio a esse mundo de escuridão! Lembremo-nos: somos luz do mundo! 

"Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus." (Mt 5.16)

Deus os abençoe!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Correndo atrás do vento!

Estudar, trabalhar, viver na correria e ao final de tantas batalhas chegar à conclusão de que simplesmente corremos atrás do vento!

Corremos hoje quase que desesperadamente em busca de realização profissional e  de conquistas pessoais. O dia parece não ter horas suficientes para cumprir tantas tarefas. Os dias parecem mais curtos e nos frustramos ao nos dar conta que corremos, nos cansamos e ainda assim, não fizemos tudo que gostaríamos. E mesmo que tenhamos realizado tudo, percebemos que tudo era vaidade!

Acabamos então por chegar à mesma conclusão que chegou o rei Salomão. Ele mesmo, o que experimentou de quase tudo em sua vida: prosperidade, realização de grandes projetos, atividades emocionantes, etc... Após experimentar todas essas coisas, dirigido pela sabedoria que Deus o havia dado, o rei Salomão conclui que nada tinha sentido:

"Não me neguei nada que os meus olhos desejaram; não me recusei a dar prazer algum ao meu coração. Na verdade, eu me alegrei em todo o meu trabalho; essa foi a recompensa de todo o meu esforço. 
Contudo, quando avaliei tudo o que as minhas mãos haviam feito e o trabalho que eu tanto me esforçara para realizar, percebi que tudo foi inútil, foi correr atrás do vento; não há nenhum proveito no que se faz debaixo do sol." (Ec 2. 10-11)

Chegar a essa conclusão não é fácil. Entender que a vida não tem sentido é meio complicado. Isso dá um nó na cabeça. Mas e agora? Como devemos agir? Devemos parar de trabalhar, de estudar e de lutar por nossos objetivos?
Claro que não! Entendi que precisamos continuar a viver, mas precisamos pedir sabedoria a Deus para desfrutarmos dessa vida, não esquecendo que as coisas daqui são passageiras, as do alto são eternas!
Precisamos entender, assim como entendeu Salomão, que o essencial para o homem não é priorizar os valores daqui, mas o essencial é temer a Deus e obedecer aos seus mandamentos. (Ec 12.13), crendo que  somente na presença dEle é que encontramos o verdadeiro sentido da vida! 

É preciso também sermos cuidadosos, pois o mundo tem nos oferecido valores que parecem inofensivos, valores que prometem nos trazer felicidade. Sem nos darmos conta, desperdiçamos a vida buscando nossa felicidade em tudo, menos em QUEM deveríamos. 

Tenho entendido que não é possível abraçar o mundo, fazendo tudo que gostaria ao mesmo tempo. Sempre haverá um descontentamento... 
Além disso,  muitas vezes,  no nosso sistema de valores, priorizamos o que não é essencial!

Que a Palavra de Deus penetre em nossos corações e que possamos realmente vivê-la apesar de nossas imperfeições.

"Mas buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas." (Mt 6.33)

Isso não é utopia, é um desafio!

♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪



Vaidade

Busco na vida tantas coisas
Que nem sei por que razão
Fortaleço minha vontade
Pra que tudo aconteça do meu jeito

Corro enquanto acredito
Persisto até chegar ao fim
Pra descobrir lá no final
Que eu corri atrás do vento

O que eu preciso, os homens não podem dar
O que eu preciso, a prata não vai comprar
O que eu preciso, o mundo não pode dar
O que eu preciso, é habitar contigo, Oh Deus

Atraia-me , para perto de Ti
Esconda-me, Oh Deus!

(Heloísa Rosa)

♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪♫♪


Que Deus nos dê sabedoria!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Uma só verdade!

É indiscutível que os milagres realizados por Jesus levaram multidões a seguí-lo. Quem não quer ter sua visão restaurada? Quem não quer presenciar uma multiplicação de pães quando se encontra em meio à fome? Os sinais feitos levaram multidões a seguir aquele homem que mandava que o mar se acalmasse e ele prontamente o fazia!
Mas algo me chama a atenção depois da realização de um desses milagres...
Depois de andar sobre o mar e ser seguido pela multidão, Jesus faz um discurso um tanto duro para aqueles que o seguiam. Acredito que Ele poderia até estar feliz pela quantidade de pessoas que o seguiam, que o ouviam, mas não poderia deixar de falar o que sentia:

“...a verdade é que vocês estão me procurando, não porque viram os sinais milagrosos, mas porque comeram os pães e ficaram satisfeitos. " (Jo 6.26)


Ele questiona o fato das pessoas o buscarem pela comida que foi oferecida num dos milagres realizados também por Ele, a multiplicação de pães (Jo 6.1-14).
Jesus então enfatiza a importância da comida espiritual. É então nesse discurso que Ele declara:

 “Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele que crê em mim nunca terá sede." (Jo 6.35) 

O texto narra então que alguns daqueles discípulos sentiram aquelas palavras duras demais para suportá-las. Daquela hora em diante, muitos daqueles discípulos deixaram de seguí-lo!
 Ao ler esse texto, vi cenas do cristianismo atual, vi uma multidão de "crentes" correndo em busca da felicidade oferecida não pelo relacionamento com Cristo, mas a felicidade oferecida pela prosperidade tão pregada por aí. O evangelho fácil tem atraído muita gente, mas se a verdade realmente é dita como deve ser( doa a quem doer), muitos recuam... O evangelho do "ôba ôba" , da coletividade, da prosperidade, atrai! Mas se a provação vem, se as coisas não acontecem como as pessoas querem, elas simplesmente sentem-se desanimadas a prosseguir. O texto continua...naquele momento encontram-se agora os mais chegados, mas Jesus, de maneira segura, pergunta:


 “Vocês também não querem ir?” (Jo 6.67)

Ou seja, a verdade era aquela. Sendo dura ou não, aquilo precisava ser dito e eles precisavam saber e decidir se continuariam com Ele. Pedro (ele mesmo, o que o negou), prontamente respondia àquela pergunta:
 “Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna. " (Jo 6.68)


Pois é, reflito também em quão fácil é falar, quão difícil torna-se agir! Mas algo me incomoda ao ler sobre isso. Muitas pessoas param por não querer decepcionar a Deus. Pedro desistiu depois de tê-lo negado?
Precisamos prosseguir e poderemos até cair, falharmos com o nosso Deus. Ele não se escandaliza com as nossas fraquezas, conhece cada uma delas! Mas não podemos continuar a buscar a Deus pelo que Ele nos oferece, e muito menos pela facilidade imposta por aí. O evangelho não nos mostra a riqueza ou o milagre, como maneiras pelas quais devemos chegar ao Pai. Se estivermos ligados a coisas passageiras, passageira também será a nossa ligação com Deus. 
Ele é o pão da vida! Ele é a videira, da qual nós somos os ramos, ou estamos realmente ligados a Ele, ou não poderemos fazer nada! (Jo 15.5). Precisamos buscá-lo pelo que Ele é e por dependermos dEle!
Que o nosso desejo seja:  não viver o evangelho do comodismo, do que é "melhor pra mim", mas o evangelho da Verdade, que dura ou não, aceitando ou não, continuará sendo a "Verdade".

Lembre-se: só há uma maneira de chegar ao Pai:


 “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim." (Jo 14.6)


Penso em quantos morreram por proclamar a Verdade...
Penso em quantos deixam de proclamar essa mesma Verdade, por medo de ter as Igrejas menos cheias...
Penso que a começar por mim, preciso conhecer a Verdade, vivê-la e proclamá-la, custe o que custar! Eis aí um grande desafio!
Chega de viver um evangelho sem conversão, sem transformação de vida, sem santificação!
♫♪ "Eu acredito no evangelho que me chama
Para viver a simplicidade
De uma vida convertida e comprometida
Com Deus e a humanidade" ♫ 
(Gustavo Legal)
 
Que sejamos fortalecidos e cresçamos na graça e no conhecimento de Deus!

domingo, 19 de junho de 2011

Como lírio entre espinhos...

É exatamente assim que nos sentimos muitas vezes!
O Lírio é uma bela flor silvestre que cresce entre espinhos nos campos da Palestina. O livro de Cantares nos traz uma referência a esse tipo de flor:

"Qual o lírio entre os espinhos, tal é a minha querida entre as donzelas." (Cantares 2:2)

Existe uma comparação entre o Lírio e a Igreja.
Entendo que somos considerados como lírio entre espinhos porque fomos separados do mundo das trevas, somos privilegiados por isso e podemos nos alegrar diante de tudo que Deus nos oferece, do seu grande amor com que nos amou, sendo nós ainda pecadores (Rm 5.8), mas não podemos nos esquecer que, querendo ou não, vivemos nesse mundo que jaz no maligno (1 Jo 5.19). E diferente do que é pregado por aí, o evangelho não nos diz que viveremos apenas de momentos de bonança. O próprio Jesus nos adverte de que nesse mundo teríamos aflições. (João 16.33)

O Senhor nos vê como Lírios, que fazem a diferença em meio aos espinhos, representados por essas aflições, por tanta sujeira, violência, injustiça..

Fazendo a diferença e crescendo apesar dos obstáculos, precisamos entender que os espinhos, ora ou outra, podem nos machucar. As tempestades, injustiças, ofensas e tantas outras adversidades podem nos atingir, mas existe algo incrível que precisa acontecer em meio a tudo isso: Precisamos continuar a exalar o bom cheiro de Cristo!


Não esconderemos que de fato temos problemas e que os espinhos desse mundo nos machucam, mas precisamos continuar o caminho, precisamos aprender com os erros e prosseguir, precisamos nos colocar na dependência de Deus, crendo que é justamente nas nossas fraquezas que o Seu poder se aperfeiçoa (2 Cor 12.9). 

Embora seja difícil para nós, humanos e falhos, precisamos continuar a crescer, em meio a esses espinhos, para que o nome do Senhor seja glorificado. Precisamos ter a certeza de que Deus cuida de nós e nos dá o crescimento, nos dá vida e vida abundante!

Que possamos nos lembrar: Lírio tem perfume, somos o bom cheiro de Cristo! Exalemos pois o bom perfume de Cristo em nosso modo de viver!

“ E graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo, e por meio de nós manifesta em todo o lugar o cheiro do seu conhecimento. 
Porque para Deus somos o bom cheiro de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem.” (2 Cor 2 14-15)

Que Deus nos abençoe e nos fortaleça a cada dia!


sexta-feira, 6 de maio de 2011

Relacionamentos vazios

Quantos amigos você tem no Orkut? E nas demais redes sociais? Sei que pode demorar a contar, afinal são tantos,não é mesmo?
Mas agora a pergunta que não quer calar: com quantos desses "amigos" você realmente pode contar?
O fato é que somos a geração da tecnologia, a geração da correria. Podemos até gostar disso e sermos bons em brincar com nossos "brinquedos" virtuais (úteis  e perigosos) e até  já nos acostumamos a correr (apesar de todo cansaço), mas somos falhos em criar relacionamentos sólidos, verdadeiros! Somos  a geração dos relacionamentos vazios! "Somos experimentados no relacionamento com as máquinas e inexperientes no trato com as pessoas".


E o pior: temos encontrado esse tipo de relacionamento dentro das Igrejas!
Faço uma reflexão sobre o que Paulo escreve na segunda carta aos Coríntios em relação à unidade dos membros do corpo (1 Cor 12. 12-27). Ele fala sobre a importância de cada membro e do cuidado que devemos ter uns com os outros. 
Lembro também da oração que Jesus fez pelos seus discípulos e por aqueles que pela sua palavra haveriam de crer nEle, ou seja, nós. Ele pede para que todos sejam um, como o Pai e Ele o são, para que assim o mundo creia que o Pai o enviou. (Jo 17. 20-23) 

Então me pergunto: onde está a unidade? Somos realmente um? Será que não temos tido  um relacionamento distante com nossos irmãos? Tenho eu me preocupado com os outros membros, que ligados a mim formam o corpo?


E talvez, ao me perguntarem onde está “aquele” meu irmão, eu responda como o fez Caim:

“Não sei; sou eu o responsável por meu irmão?” (Gn 4.9)


Talvez possa não sentir falta da outra parte, do outro membro do corpo, ou talvez possa dizer: vejo aos domingos na Igreja e converso uma vez ou outra através do Orkut, Msn...
Deixo claro desde já que não sou contra a comunicação feita através desses meios, reflito apenas em como temos deixado de lado o essencial.


A verdade é que temos nos preocupado tanto com nossos problemas que já não temos tempo para nos preocuparmos com os outros. E assim, a Igreja tem perdido a essência do cuidar, do partilhar, a essência observada na Igreja primitiva (At 2.46-47). 
O resultado disso:  membros isolados e consequentemente mais fracos na fé. Quem fica feliz com isso? Basta apenas mencionar que é muito mais fácil que o lobo faça a festa com uma ovelha isolada do que se ela estiver com o rebanho.

Ao nos mantermos afastados dos nossos irmãos também esquecemos que Deus nos mandou amar ao próximo como a nós mesmos. E aí posso dizer: “Mas eu amo meu irmão, apesar de não estar próximo dele, eu oro por ele!”
Posso orar pelo meu irmão e isso é importante (Tg 5.16), mas preciso me dispor a cuidar dele, pois quem ama cuida, quem ama cativa e está pronto para estender a mão, para ouvir e ser não somente um irmão, mas um amigo.

“O homem que tem muitos amigos pode congratular-se, mas há amigo mais chegado do que um irmão.” (Pv 18.24)





Louvo a Deus pelos meus amigos mais chegados que irmãos e oro para que eu me disponha a estar mais próxima daqueles que estão ligados a mim como membros do corpo. Que possamos realmente ser um e sejamos fortalecidos na fé, crescendo juntos na graça e no conhecimento do Senhor Jesus!
Que essa seja também a sua oração!


Que Deus os abençoe!


sábado, 16 de abril de 2011

Ressuscitou!

"E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado.
E acharam a pedra revolvida do sepulcro. E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus.

E aconteceu que, estando elas perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois varões, com vestidos resplandecentes.

E, estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos?

Não está aqui, mas ressuscitou..."

(Lc 24.1-6)


É chegada a semana em que muitas pessoas relembrarão o sacrifício feito por Jesus na cruz. Os filmes da tarde certamente trarão à memória o sofrimento de Jesus carregando uma cruz que não merecia e muitos certamente chorarão ao ver cenas (ainda que fictícias) de um homem que foi humilhado, açoitado e morto sem ter feito nada, sem ter cometido pecado!
Verdadeiramente ele não merecia aquilo...
Mas a mensagem não acabava ali...
O início desse texto mostra o momento em que Jesus não é encontrado no sepulcro, porque já não estava morto, mas vivo...


"Ele ressuscitou!"
Acredito que durante todo aquele momento de sofrimento, mesmo sentindo dor, Jesus não desistiu de enfrentar a morte porque seu amor por mim e por você era maior que tudo, Ele foi até o fim porque cria que o Pai estava com Ele e que ao terceiro ressuscitaria.  Ele quis pagar o preço para que nossos pecados fossem perdoados!

As pessoas lembram do sofrimento de Jesus mas não entendem que Ele está vivo e que a mensagem da cruz foi apenas o começo...

Ele quer que você entenda que o preço foi pago, mas nós também temos um preço a pagar...

"E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me." (Lc 9.23)

Preço alto,não é mesmo? Negar-se a si mesmo(a)....
Mas e Ele? Mesmo sendo Deus, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz.. (Fp 2.5-8) 
Ele quer que você creia que Ele já não está numa cruz ou no sepulcro...Tomé teve que vê-lo para acreditar que Ele estava vivo, mas felizes aqueles que crerem sem ter visto...

"Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram." (Jo 20:29)
 

Que você entenda que o sangue derramado por Jesus naquela cruz, que há muito já encontra-se vazia, deve ser lembrado a cada dia e não apenas numa semana em especial...E que a cruz não só representa o sofrimento, mas a vitória de Cristo Jesus, a nossa vitória nEle!

Ele te amou e continua a te amar, e hoje só quer que você O siga e creia que Ele é o único caminho para se chegar ao Pai.
E ao entender isso, seu coração esteja quieto, crendo na promessa que Ele nos fez antes de partir...


"Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.
Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito: vou preparar-vos lugar.
E, se eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.
Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho.
Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho?
Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim."
( Jo 14. 1-6) 
Deus os abençõe hoje e sempre!

segunda-feira, 21 de março de 2011

O dia em que a sua vida mudou

Era mais um dia naquele lugar, muito tempo já havia se passado e ele estava ali, naquela prisão. O que havia feito? Havia sido honesto! Havia recusado deitar-se com a mulher do seu senhor, consequentemente, não aceitou pecar contra Deus! Ainda assim, foi colocado naquele lugar, a maldade humana o  colocou ali!
Naquele dia, ao acordar, viu que tudo permanecia igual, que nada havia mudado... Talvez como o salmista, naquele dia, chegou a questionar:

"Até quando te esquecerás de mim,Senhor?para sempre? Até quando esconderás de mim o teu rosto?
Até quando consultarei com a minha alma, tendo tristeza no meu coração cada dia? Até quando se exaltará sobre mim o meu inimigo?" (Sl 13.1-2)

Mas ainda que questionasse, que estivesse triste, desanimado, ele continuava crendo...crendo que o seu Senhor o livraria daquela prisão. A vida já havia sido muito dura com aquele homem, mas ainda assim , ele continuava crendo que mais cedo ou mais tarde, tudo aquilo passaria...
E foi exatamente o que aconteceu!
Naquele mesmo dia, em que acordou sujo, talvez triste e  desanimado, José do Egito foi chamado por Faraó para que interpretasse seus sonhos. A história conta que José foi chamado a sair daquela cova, barbeou-se, mudou seus vestidos e foi ao encontro de Faraó. (Gn 41.14). José então interpreta os sonhos de Faraó e o mesmo reconhece que o espírito de Deus dava sabedoria e entendimento àquele servo (Gn 41. 38-39), dando-lhe , a partir daquele dia, autoridade para governar todo o seu povo.
O dia ainda não havia acabado e a vitória acabava de chegar na vida de José, que naquele dia, acordou como prisioneiro e foi dormir como governador do Egito! (Gn 41. 40-42)

Reflito em quantas vezes nos encontramos presos a sentimentos negativos, ao passado e a tantas outras situações e sentimentos que nos tiram a alegria e a esperança. Esperamos talvez por respostas que não chegam e ao término de mais um dia, dizemos: 
"Ainda não foi dessa vez..."

A história de José me faz entender que não importa há quanto tempo estamos enfrentando a prisão, há quanto tempo temos esperado a providência de Deus para determinada situação. Haverá um dia em que a vitória chegará, pois ela é certa para aqueles que crêem, para aqueles que confiam que Deus tem poder para inverter a situação, para nos tirar do cativeiro e nos dá muito mais do que podemos imaginar.Mas é preciso esperar...assim como José esperou, assim como tantos outros servos esperaram e alcançaram as promessas! Podemos até não entender o porquê de estarmos ali, em nossas "prisões", mas devemos crer na vitória que virá no momento certo.

"Cheguemos pois com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno." (Hb 4.16)



♫♪ "Há qualquer momento
      O céu vai se abrir
      E a glória de Deus vai descer sobre ti
      Espera mais um pouco, confia no Senhor
      Hoje mesmo ele pode acabar tua dor
      Mas espera..."♫♪

 Que Deus nos abençoe e nos fortaleça no amor de Cristo!



domingo, 27 de fevereiro de 2011

Não temas!

Você já sentiu medo de algo? Já esteve apreensivo ao lidar com certas situações?Teve receio ao enfrentar desafios da vida diária? 
Há quem diga que não sente medo de nada, enquanto outros sentem medo de tudo!

Mas os cristãos podem sentir medo?
O certo é que, mesmo sendo cristãos, estamos sujeitos a enfrentar situações diversas: períodos de crise, de bonança, momentos de alegria e momentos que nos deixam apreensivos...
Me recordo da passagem bíblica em que o Senhor Jesus andava sobre as águas e os discípulos temeram. O Senhor, porém, lhes falou logo, dizendo: Tende bom ânimo, sou eu, não temais.(Mt14.27). Pedro então quer ir ao encontro de Jesus e começa a andar também sobre as águas. O texto continua dizendo que Pedro, sentindo o vento forte, teve medo e começou a afundar,clamando: Senhor, salva-me. (Mt 14. 30). É nesse momento então que Jesus questiona: "Homem de pouca fé, porque duvidaste?" (Mt 14.31)
Durante algum tempo da minha vida me senti intimidada diante das circunstâncias da vida, as recordações do passado me fizeram ter medo dos desafios, medo de ver sonhos serem frustrados, medo até das pessoas...A vida havia me ensinado a sentir medo!
Mas mesmo sendo cristã?Confesso que sim!Assim como Pedro,em muitos momentos, senti medo e me vi afundando...
Com a graça de Deus tenho entendido que o que me torna destemida diante das dificuldades não é apenas o fato de ser cristã, mas a fé que tenho noSenhor!Quão maravilhoso tem sido aprender através da Palavra de Deus que eu não preciso ter medo, que Ele está comigo e que jamais me desamparará!
Inúmeras são as vezes em que que encontramos na Palavra de Deus a seguinte frase: "Não temas" (Gn 15.1; Dt 3.2; Jz 6.23; Pv 3.25; Is 41.13, entre outros)
Acredito que o desejo de Deus é que seus filhos e servos sintam-se seguros!
A Palavra de Deus tem me ensinado muito:

A vida havia me ensinado a temer ver meus planos frustrados, mas assim como Jó, preciso crer que nenhum dos planos de Deus pode ser frustrado!
"Bem sei eu que tudo podes, e nenhum dos teus pensamentos pode ser impedido." (Jó 42:2)

A vida havia me ensinado a temer os homens, hoje sei que:
"O Senhor está comigo: não temerei o que me pode fazer o homem." (Sl 118.6)

Havia me colocado temerosa diante dos desafios da vida, mas Deus me diz:
"Porque eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita, e te digo: Não temas, que eu te ajudo." (Is 41:13)

E quando estou triste, quando o desânimo quer me abalar, quando as coisas parecem não acontecer da maneira como eu queria, ouço a voz de Deus através de Sua Palavra me dizer:

"Agora pois, minha filha, não temas; tudo quanto disseste te farei, pois toda a cidade do meu povo sabe que és mulher virtuosa." (Rt 3:11)

Louvo a Deus pela sua misericórdia, por ter me escolhido mesmo sendo pecadora e cheia de falhas e por estar comigo sempre, me ensinando a estar segura debaixo de Suas asas...

Aprendo que a fé não me deixa ter medo, e que mesmo em meio à tempestade, posso crer no que diz a canção:

                         ♫♪ "Se o mar me submergir
                              A Tua mão
                              Me traz a tona pra respirar
                              E me faz andar 
                              Sobre as águas..." ♫♪


Que Deus os abençoe grandemente!

domingo, 13 de fevereiro de 2011

As aflições do justo

"Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei. Ele é a salvação da minha face, e o meu Deus." (Sl 42.11)

Quantas vezes nos sentimos abatidos, tristes...
Problemas na família, crise financeira, essas e tantas outras dificuldades...A verdade é que muitas vezes nos sentimos ainda piores pelo fato de que, como cristãos, não deveríamos ficar tristes ou abatidos diante desses problemas...porque afinal de contas servimos ao Deus do impossível e não podemos nos abater!
Mas será que é tão simples assim? Precisamos realmente mascarar que estamos bem, quando na verdade não estamos?

Leio os Salmos 42 e 43 e me ponho a refletir sobre o que estava acontecendo com os salmistas para que fizessem o desabafo que fizeram...Eles estavam tristes, sentiam como se Deus os tivesse abandonado, mas chegaram à conclusão de que Ele é uma ajuda sempre presente. Esses salmos nos ensinam a buscar a Deus mesmo em tempos de dificuldade!
Precisamos então negar que estamos abatidos, passando por problemas?Acredito que não! Os salmistas não esconderam que estavam passando por aflições, dificuldades...
Aprendo que o que não podemos fazer é nos colocarmos como derrotados e fracassados diante das dificuldades!
Devemos esperar em Deus e o louvar, em qualquer circunstância! Aguardando pelo seu socorro, que virá, sabendo que:

"Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas." (Sl 34:19)

Medito também no que Paulo escreve na segunda carta ao Coríntios:

"Em tudo somos atribulados, mas não angustiados: perplexos, mas não desanimados;

Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos;" (2Cor 4.8-9)
Aprendo que além de crermos no socorro que vem de Deus, devemos clamar a Ele, buscando a sua face, louvando-O em qualquer circunstância,crendo em cada uma de Suas promessas! Eis aí uma delas:

"Ele clamará a mim, e eu lhe darei resposta, e na adversidade estarei com ele; vou livrá-lo e cobri-lo de honra.
Vida longa eu lhe darei, e lhe mostrarei a minha salvação.” (Sl 91.15-16)

Que Deus nos fortaleça!