domingo, 11 de setembro de 2016

Uma pausa...

A vida é repleta de surpresas. Sejam boas ou ruins, elas sempre aparecem!
Receber a notícia de que eu seria mãe foi uma das melhores que já recebi. Alegria, gratidão.... como  fiquei maravilhada diante da ideia de que dentro de mim havia um milagre crescendo!
Mas sabe quando mal temos tempo de nos alegrar com a surpresa boa? Pois bem, foi o que aconteceu comigo... Algumas semanas após receber a notícia de que seria mãe recebi a notícia de já não havia mais vida dentro de mim. Sim, eu não pude ouvir as batidas do seu coraçãozinho... E como foi doloroso! 
Me vi diante de uma pausa...
Numa mistura tremenda de sentimentos eu não conseguia acreditar, fiquei em choque! Após receber essa notícia tive que passar por procedimento de retirada do feto. A dor física foi terrível mas não se comparou à dor que sentia no meu coração.
Confesso que não consigo exprimir com palavras o que passei naqueles dias.
Mas algo ainda estava para acontecer diante de tudo isso. Após a fase do choque veio a fase da tristeza e após essa veio a fase das perguntas. Não consegui questionar no início, mas depois veio à tona todas as perguntas... Alguns cristãos acreditam que não podemos questionar nada a Deus porque Ele é soberano e sabe de todas as coisas. Como eu me senti mal questionando esse Deus! Como eu me senti terrível!
As pessoas não entendem, na verdade não é culpa delas, mas de uma religiosidade que nos  faz acreditar que somos de ferro, quase divinos, a ponto de não podermos chorar a perda de um filho porque era da vontade de Deus não tê-lo agora...
Mas o mesmo Deus que me viu chorar até não conseguir mais e me viu agir feito uma menina resmungando diante do pai, usou uma serva dEle pra me dizer que eu era humana, que precisava chorar e que aquela fase era tão necessária quanto as outras para que eu fosse curada daquela dor insuportável!
Que alívio! Deus continuava me amando e continuava cuidando de mim! Ele sabe o que é ver um filho morrer! Ele se compadecia da minha dor e não sossegou até que eu entendesse que Ele me daria o conforto, que estaria comigo e não sairia do meu lado! Ou melhor, de dentro de mim! 
Certa vez li que nos momentos mais difíceis da vida conseguimos nos deparar de fato com quem nós somos! E como fiquei insatisfeita em me deparar com o meu "eu"... Mas sabe de uma coisa? Precisamos nos deparar para que tenhamos a humildade de reconhecer:
"Miserável homem que sou..."
Precisamos desses momentos para amadurecer e entender algumas coisas! Confesso que não queria aprender dessa maneira, bem que poderia ser mais fácil, mas reconheço que é preciso ouvir o NÃO de vez em quando. No deserto temos a oportunidade de nos agarrar e confiar ainda mais naquele que prometeu que estaria conosco todos os dias. Diferente do que muitos acreditam, Ele não nos faz sofrer para aprendermos, Ele usa os momentos de sofrimento para nos ensinar! 
No encontro comigo mesma relembrei algo que havia esquecido: DEPENDO de Deus para viver, com o sim e com o não, com a alegria e com a dor! Sou uma humana terrível que carece da graça dEle todos os dias! Sou uma humana que não tem pretensão alguma de ser divina! Sou uma humana que com seu livre arbítrio, escolhe continuar confiando nEle mesmo nos momentos de dor! Na certeza de que esses momentos de dor não são eternos e de que Ele continua cuidando de mim, continua cuidando de tudo! Ele continua sendo bom! Ele continua no controle! Louvado seja o nome dEle! 
 "Haja o que houver, sempre será Deus!!!!"
P.S: Já faz um mês que tudo aconteceu, não consegui escrever antes, mas termino com partes de uma mensagem que traduz um pouco sobre como entendo essa pausa...
O maestro continua marcando o compasso!!!! 
Pausa na vida 
Na pausa não há música, mas a pausa ajuda a fazer a música”.
Na melodia da nossa vida a música é interrompida aqui e ali por “pausas’. [...]
Mas como é que o maestro lê a pausa?
Ele continua a marcar o compasso com a mesma precisão e toma a nota seguinte com firmeza, como se não tivesse havido interrupção alguma.


Deus segue um plano ao escrever a música de nossa vida.

A nossa parte deve ser aprender a melodia e não desmaiar nas “pausas”.

Elas não estão ali para serem passadas por alto ou serem omitidas, nem para atrapalhar a melodia ou alterar o tom. 

E sim para aprimorar


Se olharmos para cima, Deus mesmo marcará o compasso para nós.

Não nos esqueçamos, contudo, de que “ela ajuda a fazer a música”. [...]




Lembre-se, a pausa não dura muito, é apenas um tempo suficiente para que você se renove e continue…
Ela apenas serve para continuar a música!!!
Olhe melhor a sua volta...
Viva a vida!

Pare! E aceite a pausa, você merece ser mais amado e amar, sonhar, sorrir, cantar e ser feliz, muito mais feliz!!!
(John Ruskin)
Que Deus continue nos ajudando nas pausas da vida!

2 comentários:

  1. Perfeito... Que Deus continue te abençoando!

    ResponderExcluir
  2. Amém, Nathaly! Meu desejo é que Deus continue falando ao coração de cada leitor!

    ResponderExcluir